10 coisas que aprendi amando


Quantas vezes você já amou na vida?
Começa ali com sua mãe, seu pai, irmãos, tios, primos, avós, até que um dia você começa a amar pessoas que não tem o mesmo sangue que você. Amigos da escola, da igreja, do curso, da rua em que você mora, talvez.
Não satisfeito, você procura outro tipo de pessoa para amar. Alguém que queira compartilhar momentos bons contigo, que te abrace quando você precisar (e também quando não precisar tanto assim), que te olhe nos olhos, segure a sua mão e te beije no fim da tarde desejando que o sol nasça logo para te ver novamente.
Poucos encontram esse alguém na infância, outros acham que encontraram na adolescência e existem aqueles que encontram apenas na segunda metade da vida.
Me perguntei agora quantas vezes já amei na vida. Não cheguei a um número exato, mas amar mesmo, poucas vezes.
Digo isso por acreditar que não se deixa de amar nunca. Eu sei que paixão, ternura, admiração, raiva, e tudo mais que possamos sentir em relação a alguém, pode mudar. Mas amor não, porque amor não se sente, se dá.

E foi assim, com esse pensamento que eu encontrei alguém que me fez entender tudo o que o amor é e o que ele pode ensinar pra gente. A grande verdade é que eu nunca vou deixar de aprender algo novo. Amar te faz ser um eterno aprendiz.
Até hoje, 13 de Março de 2014, eu aprendi que:


  1. Amor não é um sentimento. "Amar" é um verbo. É ação, é doação, é algo bem mais forte que a paixão, algo que o tempo não diminui, e que, quando dividido, ele está na verdade se multiplicando.
  2. Dentro de um relacionamento, a primeira coisa que você tem que fazer quando acordar, é abafar o seu ego.
  3. Quando assume um relacionamento, você automaticamente aceita um termo de condição, tipo aquele de quando você faz um email e tem preguiça de ler, só aceita mesmo. Nesse termo você se torna responsável pela outra pessoa e concorda que sozinho não se toma decisões.
  4. Amar é algo bem complexo, mas ao mesmo tempo não. Alguns clichês fazem parte, não tem como fugir. Quando a gente ama é claro que a gente... fala com voz fofinha, dá chocolate em forma de coração, pede pro outro desligar primeiro, pede beijinho na testa, assiste filme abraçadinho, chora depois de discutir, chora quando lembra da discussão... (ok, generalizei, mas na verdade essa sou eu). Enfim, amar te deixa bobo, bobim bobim da Silva.
  5. Com o tempo, os defeitos do outro deixam de ser coisas terríveis e quando você para de reclamar deles, eles desaparecem, acredite.
  6. Você passa a se esforçar mais para ser alguém melhor.
  7. É inevitável sentir frio na barriga de vez em quando, mesmo depois de muito tempo juntos.
  8. A vontade de casar fica mais forte a cada dia, porque os dois vão se cansar de despedidas e vão querer passar todos os dias juntos.
  9. Você passa a exercitar mais o perdão.
  10. Ver o outro sorrir se torna seu principal objetivo diário.


Resumindo:

Ainda que distribuísse toda a minha fortuna para sustento dos pobres, e ainda que entregasse o meu corpo para ser queimado, e não tivesse amor, nada disso me aproveitaria.
O amor é sofredor, é benigno; o amor não é invejoso; o amor não trata com leviandade, não se ensoberbece.
Não se porta com indecência, não busca os seus interesses, não se irrita, não suspeita mal;
Não folga com a injustiça, mas folga com a verdade;
Tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta.
O amor nunca falha. (1 Coríntios 13: 3-8)

4 comentários

  1. Muito bom Sally!
    Aprendi todos esses itens também, apesar de hoje estar solteira :)

    www.chadecalmila.com

    ResponderExcluir
  2. Muito bom o texto, e muito verdadeiro também! Parabéns!

    ResponderExcluir