A verdade sobre a felicidade



Hoje eu acordei feliz. Feliz demais. Feliz como ainda não havia estado esse ano e como poucas vezes fiquei em 2013. Dá até pra contar nos dedos das mãos do Lula.
Não, eu não tive uma linda noite de amor, não fui ao show da minha banda preferida, não vi meus pais nem meu namorado que estão a milhares de quilômetros. Eu não comprei nada, não é meu aniversário, não recebi uma carta e nem escrevi o melhor conto da minha vida.
Não, não aconteceu nada disso. E você deve estar pensando em como eu possa estar falando sobre felicidade começando esse texto com nove "nãos" em tão poucas linhas. Agora são dez.
Na verdade, ontem eu tive uma das noites mais estressantes em meses e nessa madrugada eu não sonhei, "pesadelei", como diria um amigo meu.
Mas o que isso importa? Hoje eu acordei feliz. Feliz demais!

Deixa eu tentar explicar meu estado de espírito pra vocês, queridos leitores.
Posso começar dizendo que minha sensibilidade extrema me torna uma das pessoas mais melancólicas que conheço. Sim, eu tenho uma grande tendência a pensar demais e a ficar triste de uma hora para outra. Não é algo que eu possa podia controlar. Até eu descobrir a verdade sobre a felicidade. E é algo tão maravilhoso que eu quero compartilhar com todo mundo, assim como um dia um médico bem velhinho compartilhou comigo.

Eu tinha 16. Ele devia ter seus 82 anos. Eu tinha acabado de desmaiar e bater a cabeça com muita força porque tinha medo de agulha. Ele tinha acabado de perder a esposa. E eu, que acabara de saber de sua viuvez, estava sendo consolada por ele. Em cinco minutos o velho médico me deu a maior lição de vida  que eu poderia aprender. Já se passaram seis anos desde esse acontecimento, eu nem sei se ele ainda está vivo, mas eu me lembro dele com carinho e hoje posso dizer que entendi o que ele queria me dizer.
"A vida, minha filha, é uma porcentagem. 80% dos seus dias serão ruins, chatos e tristes e 20% serão incríveis ou, simplesmente, bons. Isso pode parecer terrível pra você agora, mas sabe esses poucos 20%? Eles valerão a pena, é o que vai te fazer feliz de verdade porque ser feliz é ser e não estar."
Foram poucas as palavras do velho-médico-viúvo, mas só de ouvir ele me dizendo isso, aqui na minha cabeça, eu me emociono, eu estremeço.

A verdade sobre a felicidade é muito mais abstrata do que concreta. E essa é a moral da história.
O concreto, o físico, o que habita esta Terra passa, some, estraga, a terra come, o tempo desgasta, as pessoas esquecem.
As suas lembranças, os seus amores, o que você guarda no seu coração, na sua alma, no seu espírito, os seus 20% não se vão jamais.

Eu moro longe dos meus pais, da minha irmã, do meu amor. Eu ganho pouco, pego quatro ônibus por dia, nunca fui à Europa, não tenho roupas novas e nem dinheiro pra casar.
Mas tudo isso passa e nem se compara com o que eu tenho guardado nos meus 20% de vida bem vividas. Nada se compara à emoção de encontrar quem eu amo no aeroporto de mês em mês, de construir minha vida profissional dia a dia, de ouvir histórias de gente que, como eu, está num ônibus lotado, mas está rindo e compartilhando algo com um desconhecido sentado ao lado. Nada se compara à emoção de planejar viagens incríveis e de juntar real por real para fazê-las com o homem da minha vida.

E foi por isso que acordei feliz. Porque o ano começa de verdade pra mim hoje.
Nada vai estragar meu dia, nada vai estragar minha vida. E sempre que eu, por algum motivo estúpido, me esquecer disso eu sei que Deus vai me lembrar que não sou deste mundo e que eu só vou levar o que estiver guardado aqui dentro.

Nada se compara à vida.
E essa é a verdade sobre a felicidade.

8 comentários

  1. Que post lindo! amei.

    Mas é verdade a história do médico?
    Concordo totalmente <3 Achei maravilhoso o texto

    Beijos

    leitoraemlondres.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A história do médico aconteceu sim. Nunca vou esquecê-lo! :)

      Beijos!

      Excluir
  2. a cada dia que passa eu admiro mais você, seu blog e suas fotos!
    adorei a mensagem deste post. as vezes só enxergamos os dias ruins e acontecimentos tristes, damos valor demais pra isso... quando o que mesmo importa são as pequenas coisas que nos fazem um pouco mais de felicidade. ser e não estar... adorei *-*

    ResponderExcluir
  3. Eu me sinto OBRIGADA a comentar. Hoje desabafei, chorei por causa disso. Ouvi bastante, verdades exatas como esta que você conta. E acho que não foi a toa que, por acaso, eu vim parar aqui, lendo esse texto. Acho que consegui fechar a noite, ou começar o meu dia com uma boa reflexão. Parabens, adorei cada palavra, cada verdade. É disso que precisamos!!!!

    ResponderExcluir
  4. AI SALLY SOU SUA FÃ! ainda bem que te conheci! :')

    ResponderExcluir
  5. Sally, que texto lindo. Me identifiquei muito com ele. Muitas vezes me pego pensando "caramba, é tão difícil cuidar da casa, da família, fazer faculdade, procurar emprego, não ter tempo de encontrar os amigos, nem dinheiro pra ir pra onde eu quero ou comprar o que eu quero", mas depois eu me dou conta de que eu tenho uma vida que muitos desejariam ter. Uma família linda, a oportunidade de estudar, um teto que me cobre toda noite e não me deixa passar frio. E eu sou tão jovem ainda, tenho tanto tempo pra correr atrás dos meus sonhos. Nós deveríamos ser bem mais agradecidos pelo que temos e fazer valer esses dias de felicidade :)

    ResponderExcluir
  6. Oi Sally, tudo bom? *-*
    Esse ano comecei a visitar seu blog e to gostando muito! Você escreve super bem, menina! E esse texto é simplesmente maravilhoso! Traduziu muito bem o sentido da felicidade. E é isso mesmo, a felicidade está nas coisas mais simples e que esquecemos de agradecer. Para muitos essas palavras sobre felicidade podem parecer "clichê", mas isso é porque ainda não sentiram isso, não tiveram a oportunidade de viver esses 20%. Esse ano to me sentindo muito confiante, esperançosa e mais feliz. E dois textos que me fizeram refletir bastante foram seus. Este e aquele primeiro do ano novo sabe?! Muito bons.

    E aproveitando, tentei mandar um email mas não deu certo, então vou falar por aqui tá?
    Fuçando pelos posts encontrei dois com fotos que possuem uma iluminação muito legal:
    http://www.sheandsally.com.br/2013/04/a-foto-da-musica-infinito.html
    http://www.sheandsally.com.br/2013/02/fotos-extras-do-365-days-of-noise.html
    Gostaria de saber (se você puder me dizer, é claro, rs) como foi feita a iluminação nelas.
    To fazendo um cursinho básico de fotografia de 2 meses, e a aula de hoje foi sobre isso!

    Beeijos <3

    ResponderExcluir
  7. Oi Sally!
    Conheci seu blog hoje e já me apaixonei, você escreve muito bem, seus textos são maravilhosos e eu tô apaixonada nas fotografias rs. Eu acho que a felicidade está nas coisas simples da vida!

    Beijos!

    http://almostthemoon.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir