O porquê (e para quem) escrevo


Aflição, ansiedade, tristeza, alegria, amor, raiva, melancolia.
Esses são alguns dos motivos que me fazem correr pra frente do computador para escrever. Em alguns casos isso acontece dentro do carro ou de um avião e eu tenho que me conformar em escrever no bloco de notas do celular.
Não importa o lugar, o momento ou as circunstâncias, escrever faz parte de mim e, diga-se de passagem, eu tenho muito mais rascunhos do que textos publicados aqui.
Quando eu comecei a divulgar o blog, em Julho de 2012, pequenas dúvidas foram aparecendo.
É engraçado isso, mas muita gente (até quem eu não nunca imaginava que lia meus textos) já veio me questionar: "sobre quem você escreve?" ou "li seu texto e fiquei preocupada, você está triste?".
Bom, nada mais justo do que dizer como é para mim o processo de escrever. Vamos lá!

• Nem tudo que escrevo é sobre mim. Na verdade, o máximo de coisas reais que podem conter um texto meu é uma frase. As vezes uma palavra apenas. Gosto de misturar imaginação e sonho, só uma pitadinha de realidade, pra finalizar :)

• Eu escrevo a partir de uma frase, música, sonho ou de algo que realmente vi no meu dia. Sou dessas pessoas que reparam os outros na rua e imaginam histórias por trás delas.

• Alguns contos eu escrevo em minutos, mas a maioria começa com um parágrafo e só os termino dias depois. Isso é bem legal porque esses contos são pedaços separados de mim, de dias diferentes com sentimentos diferentes.

• Muitas vezes eu não estou nem um pouco inspirada, mas eu preciso escrever. Não sei se é para me entender melhor ou experimentar sentimentos novos, mas preciso. Quando isso acontece eu vejo fotos. Vou em sites de fotógrafos profissionais, procuro no 500px, Flickr, enfim. O legal é que a partir dessa foto pode nascer um conto bem interessante :)

• Tenho mais rascunhos no celular e no próprio blogger do que textos publicados. Acho que é porque eu procuro o momento certo de postar. Tem que estar de acordo com meus sentimentos, senão não vejo razão de ter blog.

• Quando escrevo um texto inspirado em alguém, eu conto para a pessoa. É tão bom deixar isso claro! Já aconteceu de alguém pensar que escrevi sobre essa pessoa e na verdade não era sobre ninguém :P Que situação! hahaha

• Pra finalizar: não, eu não escrevo para o blog. Eu sempre escrevi, desde pequena (é uma pena que tenha perdido os arquivos). Eu escrevo para mim e só publico alguns aqui porque acho que alguém pode se identificar em um texto, parágrafo ou linha. Gosto de procurar identificação em livros e blogs de outras pessoas, então eu tento retribuir isso. Não sei se funciona! hahaha

Bom, é isso. Creio que muitos blogueiros (as) que conheço e que gostam de escrever também tem suas próprias formas de se inspirar e se revelar na escrita. Sou curiosa, se alguém quiser me contar eu vou adorar! :)

3 comentários

  1. Queria voltar a ter essa inspiração pra escrever. nos eu caso acho que nem é inspiração, é dom.
    Vc escreve tão bem quanto fotografa, ou seja :D
    Adorei a foto e adoro as coisas que vc escreve.

    ResponderExcluir
  2. Você escreve MUITO bem e eu AMO ler os teus textos. Fim ♥ ♥ ♥

    ResponderExcluir
  3. Seus textos são lindos. E foi muito sábia a sua explicação sobre eles. Também gosto muito de escrever e tenho mais rascunhos do que textos publicados, meu Deus, é muito papel. Eu demorei muito pra publicar alguma coisa por insegurança. Hoje em dia eu já faço isso com mais frequência.

    ResponderExcluir