O último conto


Eu estava justamente pensando que não estava mais nem um pouco a fim de ver essa sua cara de menino outra vez.
Estava pensando que cansei de te colocar em primeiro lugar nos meus pensamentos, nos meus dias e na minha vida. Eu sinto falta de alguém mais importante. Eu sinto falta de mim.
Qualquer monossílabo que eu te responda ainda é muito. Você merece meu silêncio, minha ausência, minha razão (e não meu coração).
Mas sabe, meu bem? Ainda te te chamo de meu. Ainda te chamo de bem.
Estava tão ocupada tentando te arrancar de mim que não vi que pulei da cama pra atender o celular. Não vi minha cara de ansiedade quando o fiz, muito menos a de decepção quando não era teu nome e tua foto aparecendo na tela do celular.
Eu que jurei que aquele conto seria o último sobre você... Olha só quem é o protagonista de novo!
Demorou pra eu entender. Demorou para eu assinar essa carta de auforria. Mas agora eu sei, meu bem. Nossa história não é um romance. Nossa história é esse conto. Isolado, curto e triste.
Olha só, já é a última linha. Já estamos perto do ponto final. Olha só! Fim da história.

4 comentários

  1. Adoreiiiiii seu conto... vc escreve muito bem... e a máquina de escrever antiga?????? Estou in love com ela.... eu queroooooo rsrsrsrs.... já estou imaginando as fotos....

    ResponderExcluir
  2. Será que é o último mesmo? :x
    Adoro as coisas que vc escreve!

    ResponderExcluir
  3. Adorei esse conto, concordo com a Alana, será que é o ultimo mesmo? . (:

    blogchuvasdenovembro.blogspot.com

    ResponderExcluir
  4. Adorei teu conto! Escreve muito bem!
    Bjoks

    ResponderExcluir