Ah, moço


Ah, essa espera de qualquer sinal teu chegando pra acalmar esses meus sintomas de saudade...
Percebi que dor de estômago, falta de apetite e insônia são formas do meu corpo dizer que sente a tua falta.
Eu sempre te disse: "Apaga a luz quando entrar, pra eu não me acostumar a te ver por todos os cômodos da minha vida. Quando tu se for, quem sabe doa menos."
Mas ainda sim sobra tanto vazio aqui nesse quarto escuro. Teu perfume ficou no lençol, no travesseiro e no meu cabelo. Na verdade teu cheiro tomou conta de todo o apartamento e agora está tomando conta de fazer doer essas noites longas ouvindo nossas músicas sozinha.
Ah, moço do sorriso bonito! Quando tu voltar, me traz de volta também. Ou me prende de uma vez. Grita, fala que odeia meu drama. Pode até me chamar com aquele apelido ridículo. Não importa se tudo isso fizer soar tua voz no meu ouvido.
Eu só não prometo parar de te provocar. Te cai bem ficar bravo comigo, mesmo que seja mero fingimento. Faz aquela linha da tua testa ficar saliente. Faz teus lábios cerrarem e os teus olhos se estreitarem. Eu conheço bem o antídoto e te curo com aquele abraço que me faz ficar na ponta dos pés. Quatro segundos depois você está rindo e dizendo que sou terrível. Sou mesmo. Mas você é bem pior quando vai embora e leva meus órgãos vitais contigo.
Ah, sorriso do moço bonito. Quando chegar, ilumina esse quarto escuro que é pra eu me acostumar a te ver por todos os cômodos da minha vida.

5 comentários

  1. Nossa, Letícia... como eu me encontrei nesse texto... de verdade! Adorei mesmo.
    Beijos,
    Ju.
    http://estrelete.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Você escreve muito bem ♥ Amei o texto, queria ter essa sensibilidade para escrever também :(
    A foto ficou linda <3

    beijos

    ResponderExcluir
  3. Amei esse texto.. Adorei seu colar de corujinha...que amor <3

    ResponderExcluir
  4. Gostei muito do texto e as fotos sempre são maravilhosas!
    :)
    Mariana,
    http://sesobrarpapel.wordpress.com/

    ResponderExcluir