Quem dera estar sofrendo de amor


São três horas da tarde e eu estou de pijamas, com gosto de café na boca e coberta até o pescoço num calor de 35 graus.
"Seria mais fácil estar sofrendo de amor", penso. "Hoje em dia é tão mais fácil passar ileso por uma dessas crises amorosas..."
Olho em cima da mesa. Lá está a rosinha que peguei escondida do jardim da vizinha. Tão pequena, que a dona nem deve ter sentido a falta dela.
"Sei como se sente".
Lembro-me de quando a trouxe pra casa. Foi um dia de despedidas, eu achei que precisava da companhia de alguém e foi nela que encontrei um pouco de paz. Engraçado.
Agora ela está murcha e suas pétalas, que há quatro dias atrás tinham um lindo tom de vermelho, agora apresentam um cor escura. Bordô. Cor de morte.
Minha cabeça dói. Fiquei muito tempo olhando a rosa de perto, mas não sei se só o fato de ter forçado a vista possa ter acordado essa enxaqueca. Deve ser aquele velho peso atrás dos olhos. Bem familiar, diga-se de passagem.
Volto o olhar para a rosinha.
Não sei porque, mas começo a forçar o botão bem do centro da flor e ele se abre.
Lá dentro as pétalas são vermelhas. Um tom de vermelho tão lindo que me paralisou. Tem até uma ou duas gotículas de água no seu interior.
E é aí, nesse exato momento, que eu descubro o porquê de querer tê-la comigo.
Linda ao estar conectada ao solo. Vermelha viva por estar bebendo da chuva que caía suavemente sobre ela. Logo é arrancada dalí e se despedaça aos poucos, dia após dia.
Quatro dias depois, mesmo aparentemente morta, lá estava ela, guardando as pétalas mais preciosas no centro da sua alma. Talvez no seu coração. E lá dentro havia vida.
Agora eu sei o porquê.
Eu a quis porque essa rosa sou eu.

13 comentários

  1. Ui arrepiou aqui!
    Adoro qdo vc escreve!
    bjoo

    ResponderExcluir
  2. Que lindo!"lá estava ela, guardando as pétalas mais preciosas no centro da sua alma. Talvez no seu coração. E lá dentro havia vida."
    Sem palavras!

    ResponderExcluir
  3. que texto lindo. fiquei encantada. você escreve muito bem, parabéns!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada! Fico muito feliz quando alguém gosta dos meus textos e isso me faz querer escrever mais e mais :)

      Excluir
  4. Havia vida porque de alguma forma ela não queria partir, e deixara guardado a sua esperança e sua vontade de continuar, mesmo estando "morta" por fora. Que lindo teu texto, você escreve super bem mesmo.

    Tem sorteio lá no blog, se você quiser participar, fique a vontade.
    Beijinhos!!
    Meios Dias Gastos
    Curta a FanPage do Blog

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Adorei seu comentário. Acho que você sentiu o texto da mesma forma com que ele foi escrito ;)
      Beijinhos!

      Excluir
  5. Adorei o cuidado com que escreveu o texto. A rosa. Que chamou atenção da menina ela resolveu levar pra casa. Deu paz a ela e ela se identificou quando foi analisar depois de 4 dias, pois quem é que presta atenção em uma rosa seca? geralmente se joga fora, mas ela não. Até com a rosa aparentemente morta ela ainda prestava atenção nela.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é. Existem essas coisas/pessoas que por fora não têm nada a oferecer, mas por dentro escondem algo maravilhoso. Feliz de quem consegue encontrar :)

      Excluir
  6. Olá
    Adorei o seu texto, muito lindo.
    Tem talento!
    Beijos

    cocacolaecupcake.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  7. Bonito, envolvente e emocionante, gostei demais.

    ResponderExcluir
  8. Texto lindo e emocionante :)

    Parabéns Leti ♥

    ResponderExcluir