Perfumes, histórias e fotografias


Eu sempre gostei de saber.
Passava nas ruas olhando para as pessoas e imaginando quem elas eram e o que faziam.
O que elas estão fazendo aqui nessa cidade? Onde nasceram? São estrangeiras? Porque estão exatamente aqui, passando por mim nessa calçada?
Sempre tive também a estranha mania de respirar fundo quando passavam por mim, só para sentir o perfume dessas pessoas e traçar um perfil delas a partir da fragrância (ou da ausência dela).
No aeroporto eu olhava bem ao meu redor, procurando um rosto cuja expressão pudesse me contar uma história. Nem boa nem ruim. Apenas uma história real.
Eu sempre acertava.
Nos cemitérios eu olhava bem para as fotos em molduras redondinhas. Olhava bem nos olhos daquele personagem que existiu em algum momento, que riu, chorou, sofreu, amou... e morreu.
Da mesma forma, quando, por algum motivo, andava pelos corredores de um hospital e via mulheres com o rosto inchado (mas lindas) com um pequeno ser do lado, eu previa as pessoas maravilhosas que esses bebês seriam em alguns anos.
Hoje eu já não me importo mais de saber tudo.
Hoje eu só quero saber como foi o seu dia, se você dormiu bem e se almoçou direito.
Só quero saber se você vai passar em casa depois do trabalho, se vamos dar uma volta na praça aqui perto e tomar sorvete enquanto as luzes das casas vizinhas se apagam gradualmente no passar das horas.
Eu quero sentir só o seu perfume, ouvir apenas as nossas histórias e ver somente as nossas fotografias.
Hoje eu só preciso saber de você.


Este texto é mais um fragmento de contos inacabados que perambulam pelos blocos de notas da minha vida. Para ler informações importantes sobre o que escrevo clique aqui.

3 comentários

  1. Que texto mais lindo! :'( parabéns!! É bem comum mesmo nos pergar pensando em coisas do tipo, até mesmo sobre nós mesmas. O que estamos fazendo aqui? Não é?
    Um feliz 2013 e tudo de bom pra você :*
    Beijinhos!!

    www.gavetafeminina.com
    Insta @cynthianm

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Penso muito nisso!
      Feliz 2013 tb, flor!
      Que bom que gostou do texto ;)

      Excluir
  2. Olá! não sei se o texto é ficticio, mas também sempre penso sobre a história por trás de cada pessoa que vejo na rua. Ainda mais que moro em SP. haha imagina como fico louca querendo saber por que a aquela mulher está tão feliz, ou o que aquele velhinho veio fazer no centro. hehehe tirando a parte romantica claro. hehehe
    bjoss

    ResponderExcluir