Meu próprio mundo

Ela fechou os olhos.
Queria dizer tanta coisa, e ao mesmo tempo nem sabia o que pensar.
Quando os abriu, estava em outro mundo. Seu olhar perdido no horizonte mostrava o quão deslocada ela se encontrava ali, e o quanto ela precisava criar suas próprias raízes.
Se entendem seu modo de viver, de agir, de seguir em frente?
Ela não se importa.
Só tem a certeza de que faz o melhor que pode, e que um pequeno instante no seu próprio mundo faz ela lembrar se seus objetivos e continuar, sem nunca olhar pra traz.



Letícia Sally

Um comentário

  1. Indicada, mana. ;)

    http://ensaiosdamente.blogspot.com/2011/01/premio-dardos.html

    :*

    ResponderExcluir