Antônimos

Gosto do que tu não gostas
e amo o que nem sequer lhe faz diferença.
Vejo o que teus olhos não veem
ou o que simplesmente não querem ver.

Vivo o que tu não consideras vida
e sinto o que tua alma  anestesiada nunca haverá de sentir.
Quero o que tu desprezas
e desejo o que tua essência abomina.

Falo o que meu sentimento quer que eu fale
e tu não queres expressar sequer o que teu coração grita em silêncio.
Ando por onde meus pés estão convictos do caminho
e tu, infelizmente, nem sabes para onde estás indo.

Letícia Sally

Um comentário

  1. Adorei mesmo, você escreve super bem *-* É de família né? Você e a Paula escrevem muito bem! Acho que nem conhecia seu blog, depois vou dar uma fuçada aqui xD

    Beijos!

    ResponderExcluir