30 setembro 2014

We and Sally: Setembro 2014

Bruno Queiroz

Oi, pessoal!
Estou feliz de postar essa categoria hoje. O mês passado foi extremamente difícil (ainda está, mas melhorando) e eu não consegui fazer muitas coisas no blog. Mas é assim mesmo, a vida da gente as vezes exige nossa atenção em outras responsabilidades maiores.

O fato é que eu amo esse nosso cantinho, principalmente essa categoria, porque vocês participam ativamente dela e eu fico muito feliz!
As fotos desse mês, como sempre, me surpreenderam muito! A cada postagem vocês abraçam meu coração com essas fotografias lindas! Obrigada por isso! Sem contar que eu sempre enxergo um padrão. Dessa vez o que as fotos têm em comum são: mulheres!

Se você ainda não está no nosso grupo no Flickr, clique aqui e mude isso agora! Vem com a gente!

Alana Goiabeira
Eva
Kristina Bychkova
Aline Beatriz
Franciele Soares
Nayara Cristina
Se a sua foto não apareceu por aqui, não fique triste! Todo mês eu tento selecionar fotografias de leitoras que não apareceram ainda ou não estavam na última galeria feita.



Galerias anteriores:
Março
Abril
Maio

29 setembro 2014

A procura por emoções


Posso dizer que a fotografia me fez mais emocional do que sempre fui.
Acho que a arte tem dessas coisas.
Ando percebendo que a cada evento, cada ensaio, cada clique anda vindo para mim com uma carga sentimental muito grande. O número de fotografias dramáticas, alegres ou simplesmente emocionantes de alguma forma, vem aumentando no meu trabalho, principalmente em casamentos.
Talvez tenha a ver com o meu momento, talvez eu esteja me encontrando em um estilo só meu, ou ainda, quem sabe, eu apenas ando percebendo mais esses momentos que duram segundos e que eu posso eternizar.

Pensando nisso eu quis selecionar os últimos trabalhos que fiz e que foi quando percebi essa minha procura por emoções.
Como capturar um sentimento? Algo tão abstrato pode ser visto e sentido de forma subjetiva, mas às vezes é possível deixar bem claro, estampado em um rosto ou num conjunto de formas, cores e gestos.

Com vocês a alegria, a tristeza, a euforia, a dor, a perda, a conquista, o amor, o desapego, o orgulho, a ansiedade, o alívio, o ser humano:


"O que vai ficar na fotografia são os laços invisíveis que havia"

28 setembro 2014

Apple Pie e a psicóloga chamada "Cozinha"


Que cozinhar é uma terapia, todo mundo já ouviu isso.
Mas, como eu sempre costumo dizer: clichês não existem por acaso.

Ultimamente as coisas mudaram. Mudaram muito. Não que exista "mudaram para melhor" ou "estão piores que nunca". Não. Apenas estão de um jeito como nunca estiveram antes.
O grande desafio da vida, tenho percebido, é a gente se acostumar e se adaptar às mudanças constantes que somos e passamos.

Bom, eu estou tentando. Eu cozinho agora.
Estou triste? Bom motivo para fazer cookies. Estou feliz? Ótimo, dia de legumes gratinados.
Eu coloco a minha playlist, quebro ovos, meço a quantidade de leite e vejo coisas separadas, que não tem nada em comum, se tornando algo incrível.


Ontem foi um dia assim. Como ainda não posso forçar meu braço, ficar muito tempo em pé e nem fazer muito esforço, minha irmã fez a parte mais pesada. Foi bom. Eu esqueci da dor. E esse foi o resultado:


A receita deu super certo, ficou uma delícia. Peguei desse site aqui.
Quer saber? Coloca a playlist para tocar e se joga na cozinha. Depois me conta!